Sites Grátis no Comunidades.net
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
MISSÃO
COMO ESTÁ O NOSSO SITE?
RUIM
REGULAR
BOM
OTIMO
Ver Resultados

Rating: 2.9/5 (638 votos)




ONLINE
1





Partilhe este Site...



 

Pr.do Campo:Marcos Paulo

AGENTES DE MISSÕES

     Pb.Jean Pierre 

     Dc.Carlos Dyone

semadese.org.br

http://semadese.org.br

Portas Abertas - Servindo cristaos perseguidos

http://www.portasabertas.org.br

 

Invista em Missões

Locations of visitors to this page 

 

Rastreamento de Objetos Correios

  Rastreamento de Objetos
Objeto(s):
 

       Exemplos de consulta de:
Um objeto: SS123456789BR
Lista de objetos: SS123456789BR; SS912345678BR; SS891234567BR 
Informe o código de no máximo 10 objetos separando-os por ponto e vírgula

       Resposta em:     Português     English 


      

 LOCACAO DE TELÃO EM SERGIPE


ILUSTRAÇÃO MISSIONARIA!
ILUSTRAÇÃO MISSIONARIA!

Desafio Missionário - ilustração

 
Certa vez ouvi um missionário pentecostal pioneiro contar essa experiência. Uma menina pequena, da tribo onde ele era missionário, foi sequestrada por uma tribo vizinha. O povo da tribo dela sabia que, caso não a recuperasse antes do amanhecer, jamais voltaria a vê-la.

Sendo assim, o missionário e um intérprete nativo caminharam pela floresta até à aldeia dos sequestradores. Levaram bugigangas e negociaram com o chefe da tribo a fim de receberem a menina de volta, mas acabou anoitecendo.

Por não poderem viajar na floresta à noite, o missionário e o intérprete foram obrigados a pernoitar na aldeia dos sequestradores. Dormiram no chão de uma cabana de sapé e foram acordados pelo som dos tambores. O intérprete explicou que aquele som significava que seriam mortos. O chefe da tribo resolveu matá-los e ficar com as bugigangas e a menina. Então, ouviram os nativos hostis irem buscá-los.

O missionário e o intérprete ajoelharam-se, oraram e entragaram-se aos cuidados de Deus. E o missionário disse ao intérprete: Não vamos esperar por eles. Saiamos. Eu vou primeiro".

O missionário deu um passo para fora da cabana, com os olhos fechados, e esperou por um tempo que lhe pareceu interminável. Um único golpe das facas usadas por eles cortaria a sua cabeça. Mas, em vez disso, ouviu gemidos e lamentações. Olhou e viu que todos os nativos estavam com o rosto no chão.

Explicou o intérprete: "Estão chamando você de deus. Disseram que, quando você saiu da cabana, sairam juntamente com você dois gigantes vestidos de branco com espadas enormes nas duas mãos". (Anônimo).

"Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos", Sl 91.11


UMA MOEDA DE POUCO VALOR

Conta-se que certa vez um menino ouvira uma mensagem sobre a obra missionária.

Procurou, então, a esposa do pastor e entregou-lhe uma moeda de pouco valor.

Aquela senhora estava fazendo um embrulho com roupas, remédios e alimentos para enviar ao campo missionário. Ela, então, comprou um folheto com aquela pequena moeda e colocou-o dentro do pacote.

O folheto caiu nas mãos de um dos chefes da Birmânia, que por meio de sua leitura converteu-se ao evangelho. Mais tarde esse chefe, depois de haver experimentado as alegrias da salvação, falou da sua regeneração a seus amigos. Ao ouvirem seu testemunho, muitos deles também se converteram. Depois, foi organizada uma igreja que por sua vez, solicitou um missionário. Como fruto desse trabalho, quinze mil pessoas, direta ou indiretamente, foram atingidas pelo evangelho.

E tudo isso devido a uma pequena moeda dada com o coração.


 E disse-lhes: Ide por todo o mundo,
pregai o evangelho a toda criatura.
Marcos 16.15

 

  

A CARTEIRA... E A VIDA!

Um jovem norueguês chamado Peter Torjesen, na idade de 17 anos, se sentiu tocado em seu coração, por contribuir tanto para a obra missionária, que pôs na sua oferta tudo o que tinha em sua carteira, e depois de pensar rapidamente, escreveu também num pedaço de papel, o seguinte:
- E minha vida.

Há registros de que o jovem Peter Torjesen teve, depois, uma vida frutífera como missionário na China.

 


O Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos.
Mateus 20.28

 

 

 

A ABÓBORA MISSIONÁRIA

Uma mulher pobre queria muito participar da campanha de missões que sua igreja vinha fazendo, mas, decididamente, não tinha dinheiro.

Ajoelhou-se em seu quarto e pediu a Deus que lhe desse uma idéia, um jeito de ganhar algum, para poder participar.

Logo após a oração, saiu para o quintal e viu que uma abóbora da sua horta caseira já estava no ponto de ser colhida. Decidiu, então, dar aquela abóbora para missões.

Para tentar vendê-la por um preço melhor, resolveu partir a abóbora em 4 pedaços, mas, ao ver as sementes, teve uma idéia brilhante. Resolveu "batizar" as sementes de "Semente de Abóbora Missionária". Secou-as e saiu às ruas vendendo-as.

E vendeu todas. Muitos compraram pela criatividade da mulher; outros, por sua insistência; outros, ainda, por amor a Jesus e às missões. Para cada comprador ela dava um folheto evangelístico de sua igreja.

Quando a campanha se encerrou, todos ficaram espantados ao ver que aquela mulher, uma das mais pobres da comunidade, foi a que deu a maior oferta de missões daquele ano. Superando em muito o valor doado por pessoas de posse.

E Deus, na sua graça, salvou algumas pessoas por meio dos folhetos que ela distribuiu.

 


Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.
Mateus 28.19-20

 



As ilustrações sobre evangelismo são edificantes, despertam e motivam pessoas para a grande tarefa de evangelizar o mundo. 

1 - Os Pescadores 
Ora, aconteceu que existia um grupo de pessoas que se chamava "Os Pescadores". Eles organizaram um clube.
E eis que havia um grande número de peixes nos rios da região.
Mês após mês e ano após ano, esses pescadores se reuniam em seu clube para falar acerca da vocação para pescar.
Falavam também da abundância de peixes e da metodologia apropriada para pescar.
Faziam também contínuas pesquisas em busca de novos e melhores modos de pescar.
Patrocinavam dispendiosas conferências e congressos para discutir a arte de pescar, para promover a pesca e para debater o tema da pescaria.
Grandes centros foram criados e cursos eram oferecidos a respeito das necessidades dos peixes, a cultura dos peixes e onde encontrar peixes.
Os que ensinavam nesses cursos tinham doutorados em Peixologia, mas tinham pouca experiência em matéria de pescar peixes.
Eles somente ensinavam aos outros como pescar com técnica. 

E aqueles que eram enviados para pescar faziam exatamente o mesmo que faziam os que os tinham enviado.
Organizavam mais clubes.
Analisavam o peixe e discutiam o que era necessário para apanhar peixes.
Mas uma coisa eles não faziam:
Não pescavam nada.
 

2 - Eu não sei o caminho 
Um menino viera com seus pais morar no subúrbio de uma de nossas cidades.
Em seus passeios pelo bairro, foi longe demais e não conseguiu descobrir o caminho para casa.
Não lembrava o nome do bairro e nem da rua em que morava.
Quem poderia ajudar o menino?
Fazia tempo que estava perambulando pelas ruas.
Até que, vindo uma senhora, o menino tomou ânimo para pedir-lhe ajuda.
"Preciso ir para casa mas não sei o caminho. A senhora pode me ajudar?"
"Escute aqui, menino", disse a senhora, "se você precisa de uma informação ou ajuda de minha parte, então limpe primeiro o seu nariz, lave o rosto, tire as mãos do bolso, fale direito, e, antes de tudo, peça licença para falar comigo, ouviu?"
"Isto é muito complicado", respondeu o menino.
"Neste caso prefiro andar perdido e achar o caminho sozinho".
Pode ser que essa senhora tenha desejado oferecer ao menino uma lição de boas maneiras com o melhor propósito.
Entretanto, as exigências daquela senhora pareciam muito complicadas.
Na situação espiritual ocorrem episódios idênticos.
Quanta gente há que está perdida pelas estradas do mundo! 

E, à beira do caminho, surgem pessoas que, em lugar de oferecerem informações seguras, preferem dar lições de boas maneiras e de boas obras.
Desta forma o caminho para o céu, tão simples e claro em Jesus Cristo, é complicado pelos milhares de falsos guias.
 

3 - Como conhecer Jesus? 
Quando o Dr. W. Arn estudou os novos convertidos dos Estados Unidos, ele descobriu que 70 a 80% deles tornaram-se membros de igrejas porque foram convidados por parentes e amigos. 
(Revista Atos - Abril-Junho/2002) 

4 - Vejo no seu rosto 
Há muitos anos atrás alguns exploradores estavam à procura de ouro em Montana, quando um deles encontrou uma pedra anormal.
Quebrando-a, viu que tinha ouro.
Trabalhando avidamente, os homens depressa conseguiram uma grande abundância do precioso metal.
Com um desenfreado prazer gritaram:
Eureka!!! Encontramos ouro!!! Estamos ricos!!!
Antes de ir à cidade buscar mantimentos, concordaram em não dizer a ninguém o que se passara.
Enquanto na cidade, nenhum deles abriu a boca sobre o achado.
No entanto, quando estavam para voltar para o campo, um grupo de homens juntou-se a eles e estavam prontos a segui-los.
"Encontraram ouro," disse alguém do grupo.
"Quem vos contou?" indagaram os exploradores.
 
"Ninguém!" afirmaram. "As vossas caras mostraram!"
É como quando alguém descobre Cristo.
A alegria dos pecados perdoados e de uma nova relação com Ele é demonstrada na face dessa pessoa e na sua vida transformada.
Claro que aqueles mineiros queriam manter silêncio sobre a sua descoberta, mas nós cristãos devemos estar ansiosos de contar aos outros a nossa experiência. Achar a Cristo é a maior descoberta da vida, e a nossa alegria aumenta quando a partilhamos com os outros.
Como crentes o nosso maior gozo deve ser "encontrar e contar".
 
(www.nossopaodiario.net/) 

5 - Fale com Deus 
Uma senhora crente procurou o pastor da sua igreja.
Ela era casada e seu marido não era cristão.
Contou ao pastor o seu drama, suas dificuldades.
"Ah! pastor..., tenho falado tanto de Cristo e não consigo fazer meu marido aceitar Jesus como seu Salvador..."
"Minha irmã" - disse o pastor - "fale mais com Deus a respeito do seu marido e menos com seu marido acerca de Deus."
 

6 - Vamos dar as mãos 
Certo fazendeiro soube que sua filha de três anos estava perdida num trigal da sua fazenda.
Chamou os amigos e durante dois dias procuraram por toda parte, mas não puderam encontrá-la.
Finalmente pediu ao delegado local, que, convocando todos os homens deram as mãos formando uma grande fileira e, caminhando juntos, praticamente, varreram o trigal.
Poucos momentos de procura e encontraram a garotinha, no entanto já morta.
Em seu exame, o médico concluiu que a morte ocorrera há uma ou duas horas antes. O fazendeiro, pai da menina, então, lamentou:
"Oh Deus! Porque não nos demos as mãos bem antes?"
Quem dera igrejas e os pastores nos déssemos as mãos, logo e antes que seja tarde, para numa grande fileira, procurarmos e encontrarmos as ovelhas que estão perdidas no trigal deste mundo! 


7 - O campo é o mundo 
Algumas igrejas lembram o homem que bombeava continuamente seu poço de petróleo.
Um dia, seu vizinho vendo jorrar tanto petróleo, perguntou-lhe:
"Vejo seu poço jorrando óleo o dia inteiro, mas nunca vi você vender um barril sequer. O que está havendo aqui?"
A resposta: "Muito simples. É que todo o óleo que produzimos se destina exclusivamente a manter a bomba em funcionamento".
Muitas igrejas são assim.
Dissipam todo o seu potencial em seus trabalhos internos.
Não tem, por isso, tempo e energia para sair ao campo e fazer a obra de evangelização ou de missões.
 
(Cesar Thomé - O Jornal Batista) 

8 - Luz do mundo 
Os coelhos são criaturas tímidas que saem das suas tocas de manhã, tentam evitar tudo, comem e saltam, regressando à sua toca ao anoitecer.
Os coelhos parecem dizer:
"Ufa! Conseguimos sobreviver a outro dia".
Os cristãos de toca são assim.
Almoçam apenas com outros cristãos no trabalho e relacionam-se exclusivamente com outros crentes na sua igreja.
Evitam conviver com descrentes e nem sequer pensam em aceitar um convite para ir a uma das suas festas.
Não admira que os descrentes pensem que ser cristão seja algo tão distante. 
(www.nossopaodiario.net/) 

9 - Viajando nos meus joelhos 
"Viajando nos meus joelhos, na noite passada, eu fiz uma jornada para atravessar a terra e os mares.
Não fui por navio e nem por avião.
Eu viajei nos meus joelhos.
Eu vi muitas pessoas escravizadas pelo pecado.
Jesus pediu-me para que eu fosse, pois havia almas para serem salvas.
Mas eu disse:
"Jesus, eu não posso atravessar a terra e os mares"
Ele, então, respondeu-me, rapidamente:
"Sim, você pode ir, viajando nos seus joelhos.
"Ele me disse:
"Enquanto você ora, eu atenderei a necessidade deles.
Você clama e eu responderei.
"É bom estar interessado em salvar almas, as que estão perto e as que estão longe.
E assim eu fiz.
Ajoelhei-me em oração.
Desisti de algumas horas de lazer e com o Salvador ao meu lado, viajei nos meus joelhos.
À medida que orava, vi almas sendo salvas e pessoas perdidas sendo transformadas.
Eu vi a força dos obreiros de Deus sendo renovada, enquanto eles trabalhavam no campo.
Então, eu disse:
"Sim, Senhor, eu farei a tua obra.
Eu quero agradar o teu coração.
Eu ouvirei o teu chamado e imediatamente irei."
"Viajando nos meus joelhos.""
 
(Jornal Aleluia - Agosto/2005) 

10 - Quem é o responsável? 
Conta-se que numa aldeia, cortada por um rio turbulento, surgiu um alvoroço. "Socorro um menino está morrendo no rio!..."
As mães correndo em direção à voz, cheias de temores, pensavam:
"Será meu filho?
"Um rapaz, ótimo nadador, amarrou a corda na cintura e jogando a outra extremidade em direção a multidão, gritou:
"Vou buscá-lo. Segurem a corda"
Mergulhando nas águas revoltas do rio, nadou em direção à criança, que já desaparecia levada pela correnteza.
O povo observava apavorado.
Quando, afinal, o jovem conseguiu agarrar a criança nos braços, houve um grande alivio por parte da multidão.
"Puxem a corda".
Gritou o herói exausto.
Para horror de todos, viram que ninguém havia segurado a corda.
Cada um pensou que o outro iria fazê-lo.
Resultado: duas vidas pereceram nas águas turbulentas daquele rio.
Assim é o trabalho missionário: alguém precisa levar a salvação.
O missionário pode se jogar neste rio turbulento e se expor a perigos e dificuldades, mas se não houver quem segure a corda, o resgate dos perdidos será muito difícil. Não importa se estamos dentro do rio, ou se estamos segurando a corda, importa que façamos bem aquilo que fomos chamados a fazer."
 
(www.juvep.com.br) 

11 - O Beija Flor 
Conta-se que um dia teve início um incêndio numa floresta.
Um pequenino pássaro que lá habitava, o beija-flor, decidiu enfrentar o fogo que ameaçava destruir tudo.
O beija-flor descia até o rio, enchia o seu pequenino biquinho de água e, voando bem alto, deixava que aquelas gotas caíssem sobre o intenso fogo.
Sem mostrar nenhum desânimo, esse pequeno pássaro prosseguia na sua dura tarefa, enchendo o seu bico de água e derramando sobre o fogo.
Observando a labuta do beija-flor, um dos animais da floresta gritou:
"Ei beija-flor!, o que você acha que vai fazer com essas poucas gotas d'água? Desista!
Você não vai conseguir apagar o fogo!"
O beija-flor então respondeu:
"Bem, eu estou fazendo a minha parte."
 

12 - Folheto evangelístico leva pecador à salvação 
"Estudei no Seminário de Cianorte, PR, nos anos de 1970 a 1974.
Entendo que evangelismo é algo que todo cristão deve fazer.
Faz parte da vida cristã e é uma forma de obedecer ao "Ide" de Jesus.
Sempre gostei do trabalho de distribuição de folhetos.
Cheguei a ter um estoque de mais de 60 mil folhetos.
Muitos deles eu recebia de instituições estrangeiras.
Em 1972, quando era seminarista, certa vez eu estava num local chamado "Três Vendas", na zona rural, entre Araruna e São Lourenço, nas proximidades de Cianorte, PR.
A estrada passava pelo meio de duas lavouras de café.
Poderia ser um dia comum, como muitos outros, mas para quem tem o coração disposto na seara, sempre há alguma coisa a fazer.
Vendo um senhor que caminhava por ali, retirei do bolso um folheto com o título "Onde você passará a eternidade" e lhe entreguei aquela mensagem escrita, dizendo: 

"É a Palavra de Deus".
O homem pegou o folheto e me disse:
"Olha o que eu faço com a Palavra de Deus" e jogou o folheto para cima.
Eu lhe disse: "a decisão é sua".
Veja bem, a Bíblia é bem clara quando afirma que a Palavra de Deus jamais volta vazia.
Um vento carregou o folheto e o fez cair na peneira de um lavrador que trabalhava do outro lado da estrada, colhendo café.
Aproximadamente um mês depois dessa data, fui à congregação que ficava na zona rural de São Lourenço.
Iniciado o culto, senti que alguém desejava dar um testemunho e franqueei a palavra.
Um homem veio à frente e me disse:
"Naquele dia em que o senhor entregou o folheto a um homem, ele o jogou para cima, um vento levou o folheto à minha peneira. Quando o li, comecei a chorar. Ajoelhei-me ali mesmo e aceitei a Jesus. "
O pastor Décio de Azevedo batizou esse senhor que havia verdadeiramente se convertido através da leitura de um folheto".
 
(Pr. Sebastião Raimundo Gouveia - Jornal Aleluia - Outubro/2005) 

13 - Você é Capaz! 
Duas crianças brincavam num lago congelado.
Era uma tarde nublada e fria e as crianças brincavam despreocupadas.
De repente, o gelo se quebrou e uma das crianças caiu, ficando presa na fenda que se formou.
A outra criança, vendo seu amiguinho preso e se congelando, tirou um dos patins e começou a bater no gelo com todas as suas forças.
Conseguiu, por fim, quebrá-lo e libertar o amigo.
Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia acontecido, perguntaram ao menino:
"Como você conseguiu fazer isso? È impossível que tenha conseguido quebrar o gelo, sendo tão pequeno e com mãos tão frágeis!"
Nesse instante, alguém que passava pelo local comentou:
"Eu sei como ele conseguiu.
"Todos perguntaram:
"Pode nos dizer como?"
"É simples" - respondeu o homem -
"Não havia ninguém ao seu redor para lhe dizer que ele não seria capaz."